segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Utopia


Ele comeu a tia.
Ao menos, no chuveiro,
naquele dia, no banheiro.
Ao menos em sua fantasia e devaneio.

O que não é utopia?
O que no ser humano não é sonhado
antes de inaugurado?
Adoro utopia.
Pego logo um bocado.

A utopia é o sonho a ser sonhado.
É a realidade a ser cumprida,
a vida ainda não vivida.
A cura da ferida.
Abrida.

Se eu não fosse utópico não viveria nem um dia.
A vida então seria vazia.
Cheia apenas de realidade vazia.
Congelada em modelos eternizados
talvez outrora por outros sonhados.

Utopia sim!
A utopia é a mola motriz da existência humana.

A mesmice rima com canalhice,
oportunize,
babaquice.

Se um dia político fosse,
Fundaria o partido utópico.
O PU.
Tentaria então acabar com a mesma corrupção.
A mesma de sempre.
Que mata tanta gente.

Então podem me chamar de utópico.

Prefiro sonhar
do que já como morto estar.
Prefiro nadar
do que pensar só no afogar.

Se não fosse a utopia
nem mesmo
uma mulher se divorciaria
hoje em dia.

Obrigado utopia.


                       Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2013